Alagoas, uma das nove unidades federadas que integram o Nordeste brasileiro, figura entre aquelas de menor extensão territorial, com 27.689,1 km2 de superfície, correspondendo a menos de 3% da área regional. Limita-se ao norte e a oeste com o estado de Pernambuco, a leste com o oceano Atlântico, e ao sul com Sergipe e Bahia.

Relevo

Seus principais aspectos geológicos podem ser divididos em duas unidades de relevo. A primeira são as Planícies Litorâneas com seus tabuleiros e colinas, exemplificados pelas embocaduras fluviais afogadas, formadoras de brejos e lagoas que caracterizam parte do litoral alagoano e deram origem ao nome Alagoas. Os tabuleiros chegam até o litoral, principalmente ao sul da capital Maceió, e se estendem até perto da foz do rio São Francisco, na fronteira com o estado de Sergipe. A segunda unidade de relevo refere-se a serras e planaltos da Borborema, no interior do Estado, formadas por rochas muito antigas e com alturas variando entre 200 e 300 metros.

Clima

O clima tem as características tropicais gerais da região Nordeste litorânea, com chuvas freqüentes no inverno (junho-julho) e seca no verão, acompanhadas de temperaturas elevadas, com média anual variando entre 20º e 28º. O estado apresenta as três sub-unidades espaciais características da região Nordeste: o Litoral e Mata; o Agreste; e o Sertão.

A rica rede hidrográfica do Litoral e Mata é composta, basicamente, por rios perenes que desembocam no oceano Atlântico, além de um considerável número de lagoas litorâneas. O Agreste é uma zona de transição entre o Litoral e Mata e o Sertão. Trata-se da parte central do estado, com relevo suave, geralmente em terrenos cristalinos.
O Sertão é a área menos povoada do estado, e tem em Santana do Ipanema seu mais importante centro urbano.

População

Alagoas tinha uma população de 2.512.991 habitantes (censo de 1991), dos quais 1.481.125 (59%) viviam no meio urbano, isto é, sede municipal, vilas e áreas urbanas isoladas, enquanto as áreas rurais tinham 1.031.866 habitantes (41%).
A forte concentração fundiária nas mãos de poucas famílias que controlam a produção de cana-de-açúcar e de fumo leva à prática de uma política de baixos salários para a maioria da população e impede a distribuição de terras para pequenos e médios agricultores. Por isso, o estado de Alagoas é considerado um dos mais problemáticos da região Nordeste, tanto no que se refere à sua viabilidade econômica quanto à sua marcada desigualdade social.

Conheça Maceió >>

 

Copyright 2000-2003 - Maceió Turismo Ltda - Todos os direitos reservados